01 DE MAIO, DIA DO TRABALHADOR

Se que há o que comemorar, pois estamos na iminência de ver os direitos dos trabalhadores sepultados.
Ouvem-se discursos de que “a reforma é necessária pois só assim teremos mais empregos”; “o custo da mão de obra é que impede a empregabilidade”; “os direitos trabalhistas constituem-se em privilégios anacrônicos”.

É possível, sim, que alguma reforma seja necessária, afinal muita coisa mudou na economia, no modo de produção e até mesmo na vida das pessoas, mas é importante refletir que não é o trabalhador que , em geral, sai as 05 da manhã para trabalhar e retorna às 20h pra casa, que ganha salário mínimo de R$ 937,00 (e que deveria ser, no mínimo, quatro vezes mais), que vende sua saúde em horas extras, só para ficar num exemplo raso, que impede a engrenagem do desenvolvimento econômico.

Uma boa reforma deveria passar pelos encargos indiretos com os quais as empresas alimentam os cofres do governo (Sistema “S”, PIS , COFINS) e sobre os quais ninguém fala em “reformar”.

Uma boa reforma deveria rever, sobretudo, os rombos do iNSS, cujos maiores devedores são exatamente empresas, bancos dentre elas, que tem faturamento annual na casa dos bilhões;

uma boa reforma deveria efetivamente acabar com a corrupção no País.

É injusta uma reforma trabalhista que penaliza apenas um dos lados…. Exatamente o mais fraco de Todos!

Parabéns Trabalhadores.